OPTANTE DO SIMPLES NACIONAL PRECISA DE BALANÇO PATRIMONIAL?


Autor: Fonte: Conteúdo original Grupo Clac

Data: 13/02/2020



Hoje,  nós  vamos  tratar  especificamente sobre um tema que gera muita dúvida. E as empresas optantes pelo SIMPLES, também precisam apresentar balanço patrimonial? Essa dúvida existe, pois com o Decreto 123/06 surgiu a possibilidade de micro empresas e empresas de pequeno porte utilizarem um regime tributário simplificado. Trata-se do regime tributário do SIMPLES NACIONAL, que facilitou a vida das pequenas empresas. Neste artigo vamos entender como funciona o balanço patrimonial, para empresas do SIMPLES.


O QUE É BALANÇO PATRIMONIAL?


Balanço patrimonial é um documento contábil. Ele serve para demonstrar como está a saúde financeira de uma empresa em um determinado período.
É, também, um relatório exigido por lei para a maior parte das empresas e demonstra como está, de fato, o patrimônio da empresa.
Assim, reflete por meio de números e índices a capacidade financeira.


O QUE É SIMPLES NACIONAL?


Sobre o SIMPELS NACIONAL, que também já falamos em vários outros artigos do nosso canal, é um regime de arrecadação, cobrança e fiscalização de impostos. Através do SIMPLES, a empresa tem a facilidade de unificar oito impostos em uma só guia de pagamento.


QUEM PODE ADERIR AO SIMPLES NACIONAL?


Apenas microempresas, empresas de pequeno porte e microempreendedores individuais podem aderir ao SIMPLES NACIONAL. Esse regime tributário, simplificado,  tem como característica a possibilidade da não apresentação do balanço patrimonial. Mas, isso é para o FISCO, apenas. Na lei civil, na regulamentação contábil brasileira, o Balanço patrimonial é obrigatório! Ou seja a regular contabilidade do seu negocio sera espelhada e sedimentada no balanço patrimonial. Se você não tem balanço patrimonial, como mediremos a saúde financeira e a situação econômica da sua empresa? Se você usa sua empresa para participar de licitações, o balanço patrimonial é um dos requisitos obrigatórios.
Todo procedimento licitatório possui um edital. Neste edital, estão previstas as regras e os documentos necessários. A lei determina que toda e qualquer empresa deve cumprir alguns requisitos, apresentando documentos que comprovem:


Qualificação técnica;


Regularidade fiscal e trabalhista;


Qualificação econômico-financeira


Habilitação jurídica.


A qualificação econômico-financeira serve para demonstrar que a empresa tem boa saúde financeira. Para isso, o principal documento comprobatório para verificar as finanças da empresa é o balanço patrimonial. A lei é clara, ao permitir a exigência do balanço, nas licitações.
Apesar da Lei Complementar 123/06 permitir que MEs e EPPs utilizem o SIMPLES e dispense o balanço, isso se trata de uma questão tributária .
A dispensa da escrituração do balanço não necessariamente se estende para outros cenários. As licitações públicas são regidas por normas próprias e não se confundem com outros ramos do direito.
Portanto, como não existe dispensa de apresentação de balanço para MEs e EPPs, nas licitações, sua apresentação é obrigatória para as empresas que desejam participar. Portanto, via de regra, nenhuma empresa está dispensada de apresentar o balanço patrimonial. Exija o balanço patrimonial da sua empresa de contabilidade, pois este documento reflete a situação da sua empresa.








© 2020 - Atac (Todos os direitos reservados)